Conheça mais sobre a hipertensão e como lidar com ela.

O aumento significativo da pressão por um longo período não é normal. Também conhecida
popularmente como “pressão alta”, a hipertensão tem sintomas como: dor de cabeça, falta
de ar, visão borrada, zumbido no ouvido, tontura e dores no peito. Apesar dos diversos
sintomas, a doença é silenciosa no início, pois estes desconfortos costumam aparecer em
estágio mais avançado. Por isso, é fundamental medir a pressão pelo menos uma vez ao
ano e ficar atento à saúde do coração.

Fatores de risco:

Existem uma série de fatores que podem desencadear a hipertensão, quem tem histórico
familiar, por exemplo, tem 30% de chances a mais de ter pressão alta. Com o avanço da
idade, as artérias perdem a flexibilidade e deixam os idosos mais vulneráveis também.
Pessoas de etnia negra e asiática também são os mais atingidos pela doença. Além desses,
há outros fatores como: obesidade, estresse, sono irregular, tabagismo, alcoolismo,
menopausa, consumo exagerado de sal, doenças renais e diabetes, hipertireoidismo,
poluição e sedentarismo.

Consequências:

O acidente vascular cerebral (AVC) e o infarto são as consequências mais temidas para
quem sofre com hipertensão, pois um único episódio pode ser fatal e/ou trazer sequelas.
Além disso, também pode ocorrer insuficiência renal e comprometimento da visão.

Tratamento e prevenção:

Para cuidar de um dos órgãos mais importantes do nosso corpo, além de adotar hábitos
saudáveis é imprescindível consultar especialistas que podem ajudar tanto no tratamento,
quanto na prevenção da hipertensão. Veja com quem contar:

Cardiologista: esse especialista é de suma importância já que é responsável pelo
diagnóstico e tratamento das doenças que acometem o coração e outros componentes do
sistema circulatório.

Clínico Geral: os check ups anuais feitos à pedidos desse profissional podem indicar casos
de hipertensão, em casos mais graves ele encaminhará para um especialista na doença.

Endocrinologista: os hormônios são necessários para regular as funções do corpo, por isso,
em caso de desequilíbrio hormonal o risco de problema cardiovascular aumenta. Então, é
necessário estar atento à isso também consultando um endocrinologista.

Nutrição: o acompanhamento nutricional tem como intuito identificar hábitos alimentares que
podem ser perigosos em casos de hipertensão e até mesmo para a prevenção.